quarta-feira, abril 17, 2013

Zou bisou




Não conheço a série de televisão e só este vídeo, me fez procurar saber, do que se tratava.

E fui à procura porque estes dois minutinhos me deixaram água na boca.  O som típico da guitarra dos anos 60, as roupas, a decoração, as cores, os penteados e aquele jeito “lavadinho” das personagens*, fizeram-me viajar aos tempos em que os meus pais foram novos e que revivo apenas nalgumas memórias, filmes "super 8" e fotos deles.

Mas acima disso tudo está, pois claro, a sensualidade que transpira da actuação da actriz, que também só aqui a conheci, e que se chama Jessica Parré.

Para além da sua beleza e sensualidade, o que me fez aqui escrever foi a língua francesa. Não há para mim, língua mais sensual, na boca de uma mulher, do que o francês. Isto já deve vir do tempo em que ainda criança, ouvia o 45 Rotaões do “Je T’aime moi non plus” e o sussurro quente, muito quente da Jane Birkin.

Ao contrário, o francês, é quanto a mim, a forma mais ridícula de um homem falar. Demasiado feminina.

*Já começo a ficar um bocado farto da moda dos cabeludos e barbudos vestidos com trapos e ténis rotos e sujos.



sexta-feira, abril 12, 2013

Before Midnight

Nove anos depois de «Antes do Anoitecer» e 18 anos após «Antes do Amanhecer», Ethan Hawke e Julie Delpy voltam a ser Jesse e Celine em «Before Midnight». O trailer já está na internet.

quarta-feira, abril 10, 2013

Sempre a aprender!!!

Ontem à noite, enquanto passava a ferro, estava entretido a ver o canal Odisseia e sabem o que descobri , num banal programa sobre sexualidade, às 10 da noite???
...
...
...
Fiquei pasmado!!!!
Nós, homens, também temos ponto G!!!!
...
...
Alguém sabia isto?
...
...
Agora, nem queiram saber onde fica! Puxa!!
Se não sabem e querem saber Googlem à vontade. Não sou eu que vos vou dizer :)


segunda-feira, abril 08, 2013

O amor é isso

O amor é isso. Não prende, não aperta, não sufoca. Quando vira nó, já deixou de ser laço.
Excerto de texto atribuído a Mário Quintana

quinta-feira, abril 04, 2013

Ai, ai,....


Há uma mania (para não dizer fetish, que parece demasiado forte), muito antiga e bastante inocente, na qual, não sei bem porquê, nunca fui muito ligado.

Apercebi-me da existência dessa tendência logo em miúdo, quando encontrava, espalhadas pela casa da minha avó, largadas pelas empregadas, as revistas da “Crónica Feminina” que eu, um miúdo curioso, acabava por folhear.

Na secção das foto-novelas eu via essas atraentes, fogosas e ardentes executivas, envolvendo-se em paixões assolapadas com os patrões ou colegas. Mais tarde, uns bons anos mais tarde, já adolescente, comecei a encontrar essas mesmas executivas, noutro tipo de revistas. “Gina”, acho eu. As mesmas personagens, mas paixões um bocadinho mais intensas. Quando a era dos video-gravadores chegou, voltei a encontra-las no mesmo estilo das revistas, intensamente apaixonadas mas agora, numa paixão bem mais ritmada. Filmes de qualidade, como é óbvio... sabem certamente do que estou a falar.

Mas o facto é que, por razões que não sei explicar, estas personagens não me causaram nunca um entusiasmo fora do normal. Mas ontem, saí da minha pequena aldeia onde trabalho e fui ao banco à vila, e foi aí que todo este paradigma mudou. Encontrei por lá, ao vivo e a cores,  a executiva que eu nunca tinha encontrado. Óculos, cabelo apanhado, mas meio solto, com umas roupas muito elegantes e sensuais, sapatos de salto, e uma pose decidida e confiante, dando a entender que era uma daquelas raparigas que não dá bola a ninguém, como de facto  não a vi dar.

Confesso que a imagem da moça me acompanhou o resto do dia. Confesso também que foi por puro acaso, que hoje tive de ir almoçar à mesma vila e confesso ainda que é mesmo verdade. Ela estava lá. Mais uma vez, totalmente inatingível, no alto da sua pose, parecendo desligada de tudo o que é mundano, tentando (ou não) esconder a sua sensualidade que no entanto se sente e se adivinha e que me deixou vidrado.

Já tinha saudades de me voltar a apaixonar assim! :)

Who are you?

Ontem, depois de te ver na esplanada ao jantar, todas as minhas certezas "implodiram". A tua feminilidade, a tua beleza, a tua se...