quinta-feira, dezembro 19, 2013

Estou completamente fã desta moça


Adoro a voz, adoro a sua expressividade, irreverência e claro, é inevitável, a sua beleza.
Seria uma surpresa se dissesse que estava apaixonado? :)

Se gostaram, pesquisem no youtube. Tem dezenas de "covers"!

terça-feira, dezembro 17, 2013

Just don't tell anyone...



Quando vejo este video;
Sinto um vazio na barriga por tudo o que podia ter vivido e não vivi....
Sinto um vazio por tudo o que podia ter sido e não fui...
Just don't tell anyone...ok?

segunda-feira, dezembro 16, 2013

Viajar sozinho?

Porquê?

Pois, pensando bem até acho que não faz sentido. Porque quando se viaja, uma das coisas boas é poder partilhar a experiência.

Então?
Estará o problema na companhia?
Estará o problema em mim?

sexta-feira, dezembro 13, 2013

A imagem não tem muito a ver com o texto mas gostei dela e quis colocá-la aqui

É,... Não tenho andado muito entusiasmado com a vida...
Uns dias melhores, outros piores....
Ainda por cima tenho sido preguiçoso com o blogue, que durante tanto tempo foi o meu "ombro" mais fiel e mais próximo.

Tento destingir se sou eu que sou demasiado exigente, mal agradecido ou se é legítimo esperar mais da vida e do que ela nos dá.

Vou continuar à procura das respostas.

Ah, e já tenho as férias marcadas. Decidi esperar e ir de férias acompanhado, mas não escondo. Aqui não escondo. Continuo com aquele desejo de viajar sozinho. Porquê? Vou tentar explicar depois.

quarta-feira, novembro 20, 2013

E agora???

Eu: Mal acabe o trabalho que tenho agora em mãos, vou tirar férias!
Ela: Vais? E para onde vais?
Eu: Bem…nem sei… Eu queria passear para algum lado e até já tinha pensado nos Açores,…
Ela: Açores??
Eu: Sim, achei que era um bom destino para viajar sozinho. Mas tenho um problema nesta parte do “ir sozinho”. É que eu não estou sozinho, mas como vou dizer que vou à outra pessoa sem a magoar?
Ela: mas porquê? Não entendo.
Eu: É que ela não só, não pode tirar férias agora, como não tem dinheiro disponível para isso, nem agora nem nos próximos tempos e eu também não tenho dinheiro para pagar o dela, mesmo que ela estivesse livre para ir…
Ela: Hummm….
Eu: E eu para tirar férias para ficar em casa ou na casa dela não tiro, porque não tenho paciência para estar sem fazer nada.
Ela: Então fala com ela. Acho que vai entender.
Eu: Sim, talvez, mas vai ficar triste...

Ela: Deixa isso. Vai! 

Já tive esta conversa com uma pessoa e foi mais ou menos assim. 
Desafio:
Imaginem-se no papel de "Ela" e digam-me que conselhos me dariam.
Desafio ainda mais difícil:
Imaginem-se no papel da 3ª pessoa e digam-me como reagiriam.


terça-feira, novembro 19, 2013

quarta-feira, novembro 13, 2013

quarta-feira, novembro 06, 2013

Perguntas que ainda não fiz

"E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música."
Friedrich Nietzsche


E tu? 
Ouves músicas que parece que mais ninguém ouve? Danças?

Aquela vida à tôa

Ontem, deu-se, no meu modesto T1, mais um dos meus interessantes serões caseiro-culturais. De um lado eu e a tábua de passar ferro e o inevitável ferro e dou outro, um velho DVD de um espectáculo gravado para a RAI, com Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Toquinho e Miucha.

Como passar a ferro não ocupa muito espaço cerebral fui pensando e pensando pensei: se alguém me perguntasse que figura pública ou personagem histórica, gostaria de ter sido ou de ser, tive a certeza que essa figura ou personagem estariam certamente naquele DVD. Só não consegui decidir entre Vinicius e Tom Jobim. Não consegui escolher entre as estabilidades e instabilidades psicológicas e emocionais de um e do outro. 

Se pudesse ir alternando...  um dia o feitio mais sereno e melancólico de Tom Jobim e noutro, a alma mais atormentada de Vinicius e claro a sua necessidade de se sentir constantemente apaixonado. A sua necessidade de se sentir constantemente amado. A sua paixão pela beleza do Ser Mulher. Em comum, aquela vida boémia e contemplativa. Aquela vida boa, "aquela vida à tôa" do Samba de Orly".

segunda-feira, novembro 04, 2013

Isto não é suposto acontecer a um homem, ou é?

Esta história é quase inacreditável, não tanto pelo que aconteceu, que já de si me parece  invulgar, mas pelo sítio onde aconteceu.

Lembro-me que na Tailândia, ainda eu era casado, eu e a minha mulher, decidimos que tínhamos que fazer uma massagem. Era quase obrigatório. Mas no meio de toda aquela confusão das grandes cidades asiáticas, onde ainda por cima, como era o caso de Bangkok, o negócio do sexo é muito famoso, a minha mulher apenas admitiu fazê-la no Hotel. Por questões de segurança, disse ela. E assim foi. Mas nem por isso deixei de ser assediado e de me ter visto em “papos de aranha” para conseguir manter a cabeça fria, apesar de todo o meu corpo quente, muito quente mesmo querer seguir por outros "caminhos".  Na altura escrevi isto.

Bem, mas voltando ao início, fui no sábado passado à minha cidade “berço” e como sempre, nestas ocasiões, aproveitei para dar um salto a uma famosa loja de livros e audiovisual existente num dos Centros Comerciais da terra.

Estava então eu dedilhando os DVD’s musicais, na secção Brasileira, quando de repente, uma mulher que estava ao meu lado, tocou com sua mão a minha. Por breves fracções de segundo achei o contacto casual, até perceber que caricias nas mãos, não acontecem casualmente. Sempre agarrada à minha mão, que eu, meio em pânico, fui deixando ficar (acima de tudo não quis que a mulher se sentisse humilhada com a situação e queria sair daquilo de forma mais digna possível para os dois), ela começou a falar. Sobre o que procurava, se era brasileiro, se já lá tinha ido e quase logo de seguida, depois de eu ter dito que não encontrava o DVD que procurava, perguntou-me se eu não estava à procura de mais nada, se não quereria outra coisa. Eu tirei então a mão delicadamente e com um sorriso agradeci e disse que não, que não precisava de nada e afastei-me.

Mas se querem saber a verdade, embora a situação seja estranha, em certo sentido até humilhante e degradante, a mim deixou-me feliz. Deixei-me levar pela ilusão, ou não, de que provoco algum sentimento nas mulheres. Uma certa irresistibilidade e isso sabe bem. Alimenta-nos uma parte de nós tão difícil de contentar. Um momento bom, para recordar com um sorriso nos lábios.

quinta-feira, outubro 24, 2013

Dúvida existencial (ou quase)

Alguém me sabe dizer se a maravilhosa moda das calças de cintura descaída, nas mulheres, está a passar de moda???

Continuo à procura

Em Outubro de 2011, ainda casado, sonhava apenas com isto: 

Cabelos compridos e rebeldes para os afagar e esperar que soltos, me percorram as costas;

Alças e ombros à mostra para pegar nas mãos, correr os braços nus, passar nos ombros e envolver o pescoço atrás das orelhas;

Decote generoso e cheio, com um colar pendente para traçar a linha do desejo, para percorrer com a ponta dos dedos;

Mãos com pulseiras e unhas pintadas de cor, porque ser feminina é isso mesmo. É cor, é enfeite, é magia;

Vestido de tecido ao mesmo tempo leve, mas pesado o suficiente para marcar as curvas do corpo em movimento, só para poder adivinhar primeiro, tocar depois e levantar por fim, porque nada é para fazer depressa de mais;

Tatuagem no fundinho das costas, para ter também um pretexto para ficar a olhar para uma das curvas mais sensuais da natureza;

Rabo redondo em forma da lua, porque sim;

Sandálias de salto nuns pés pequenos e de unhas pintadas que caibam nas palmas das mãos.



Hoje sonho com o mesmo, mas faz-me falta o resto. Como dizia Vinícius no "Samba da Benção", 

"Senão é como amar uma mulher só linda

E daí? Uma mulher tem que ter
Qualquer coisa além de beleza..."


Dá para entender não dá? Tudo aquilo que está dentro da nossa cabeça e que nasce connosco, que se aprende e se cultiva. 

Continuo à procura!

segunda-feira, outubro 21, 2013

Cidade vs Aldeia II



Cidade vs Aldeia

Desde que me divorciei que moro num T1 de áreas razoáveis. Um 8º andar na ponta da cidade, com vistas largas para o campo. Este meu campo de que falo, são afinal os campos dos confins de Portugal, que pegam com os campos dos confins de Espanha, que por sua vez, voltam a pegar com os confins de Portugal. Baralhados? Eu explico: Sabem aquele biquinho de Espanha que entra por Portugal adentro, a partir de uma das margens do Rio Tejo? Então é isso mesmo, eu da minha varanda em frente, vejo a Vila de Marvão, voando por cima desse tal “bico” Espanhol. Vá, vão lá ver o mapa, tracem uma linha de Castelo Branco a Marvão e depois voltem.

O Sol nasce na direita e põe-se à esquerda o que me dá, fantásticos cenários tanto de manhã, como no final da tarde. Se pensar bem, esta é das casas onde fui mais feliz, onde me sinto mesmo muito bem.

De carro, estou a vinte e cinco minutos do meu trabalho, o que não é nada, mas como tudo na vida tem um senão, esta casa também tem um. Não é minha. Tenho-a alugada e pago renda.

Vamos à segunda parte: há uns tempos, meio a sério, meio a brincar, resolvi propor aos meus chefes, que recuperassem uma casita que faz parte do património da Associação, para que eu pudesse morar lá. E eles aceitaram a minha proposta!

Na Aldeia, uma casita térrea, a 50 metros do escritório com espaço para receber visitas, com uma lareira enorme, com um bocadinho de terra para jardim e com uns anexos muito bons para arrecadações e oficina. Parece muito bom.

Mas e a cidade?? Que faço eu com a cidade??

Trabalhar numa aldeia e viver na mesma aldeia, será que me vai fazer bem? Será que não vou dar em doido? Vivi quase toda a minha vida em cidades, pequenas, mas cidades. Será que me adapto? Espaço para mexer na terra e serrar madeira, será que me distraem? 3000 euros poupados em renda, gastos em viagens de férias serão suficientes para me fazer esquecer o isolamento?


Alguém quer dar uma opinião?

quarta-feira, outubro 09, 2013

Mulheres

As mulheres do meu tipo não se metem comigo.
As mulheres que se metem comigo, acabam por perceber que eu não sou do tipo delas.
Como eu não me meto com ninguém, acabo por nunca encontrar o tipo de mulher que é mesmo o meu tipo.


Capiche??

quarta-feira, outubro 02, 2013

O Facebook tem destas coisas.

Já não é a primeira vez, que a minha imagem deixa alguém com as expectativas em relação a mim, demasiado elevadas.

Tenho por hábito (eu sei, um mau hábito) aceitar todas as moças que me pedem amizade no facebook. Ainda na segunda-feira aceitei uma moça vistosa que não me lembrava de conhecer e talvez por isso, não resisti a perguntar-lhe se estava esquecido ou se de facto não nos conhecíamos. E a conversa foi andando ao longo do dia, porque não nos conhecíamos mesmo, até à fase em que eu digo, já à noite, que estava a passar a ferro.

Veio então a pergunta fatal: “Tu fazes o quê?”. Depois de explicar duas vezes qual era o meu trabalho, ela disse: “Muito bem” e calou-se.                Até agora.


Acho que percebeu que eu não era a pessoa indicada para lhe pagar a empregada. :)

terça-feira, outubro 01, 2013

terça-feira, agosto 13, 2013

Canção do Engate



Nunca gostei muito do António Variações. Não por qualquer tipo de discriminação, mas apenas por não gostar muito das músicas. E já tantas versões se fizeram de muitas das suas canções e nenhuma despertou a atenção, até esta do Tiago Bettencourt da "Canção do Engate".
Nesta versão muito bem produzida e orquestrada, consigo sentir a música e o que ela diz. A sensualidade "da aventura dos sentidos", a solidão de sermos sós, e a partilha dessa solidão. A "esperança" e de novo a sensualidade do "momento em que te dou e que te dás". 
Entro em modo desligado do mundo de cada vez que ouço esta música. por isso a partilha. :)

quinta-feira, junho 27, 2013

Dúvidas que ficam e que ninguém pode explicar. Ou pode?

Poderá alguma mulher verdadeiramente desinibida e experiente, sentir-se inibida e até receosa, apenas porque está perante um homem calmo e sereno (eu diria tímido e igualmente inibido por natureza)?

Momentos verdadeiramente surreais

Estava eu na minha caminha, sozinho e a dormir profundamente, quando um telefonema não identificado me acorda:
Eu: - Estou?
Ela: - Está? Quem fala?
Eu: - Quem fala??? Sou o Waterfall. E você, quem é?
Ela: - De onde está a falar?
Eu: - De onde?? De Castelo Branco!!! Quem fala?
Ela: - De Castelo Branco do Continente?
Eu: - Sim do Continente, mas quem fala?
Ela: - É casado?
Eu: - Olhe, eu estou a dormir, boa noite!

Depois disto o telefone ainda tocou mais 3 vezes e eu desliguei sem sequer atender . Acontece-me cada uma!!! O pior é que fiquei curioso!

quarta-feira, junho 12, 2013

Coisas de cá e de lá



Gosto muito destes Natirut. Já comprei o DVD e tenho visto e ouvido vezes sem conta, mas tenho uma curiosidade:

Este verso da música deste video é tão estranho para os brasileiros como para nós portugueses?

"Não vi mais a gata, mas tenho minha gaita pra me consolar"

Ou então é só estranho para mim, será?


segunda-feira, junho 10, 2013

De volta a casa

Depois de 15 dias por fora, estou de volta a casa.
E sabe tão bem... :)

quinta-feira, maio 30, 2013

Em Lisboa

A quantidade e variedade de mulheres por quem me apaixono, é uma coisa que ainda me surpreende!
Viva Lisboa! :)

segunda-feira, maio 20, 2013

A complexidade de uma pessoa simples


Talvez na verdade, nunca tenha amado. Talvez por isso nunca tenha sido aquilo, que as pessoas que me amam esperam que eu seja. Talvez o meu destino seja viver comigo mesmo.

quarta-feira, maio 15, 2013

Eu mesmo

Desvendando um pouco mais de mim mesmo. :)

terça-feira, maio 14, 2013

É impressão minha ou já não é a primeira vez que faço aqui esta pergunta??


O que é que mais une duas pessoas? Aquilo que têm em comum ou as suas diferenças?

quinta-feira, maio 02, 2013

Pois, também acho...

"A melhor forma de se livrar da tentação é  deixar-se cair nela."
Oscar Wilde

quarta-feira, abril 17, 2013

Zou bisou




Não conheço a série de televisão e só este vídeo, me fez procurar saber, do que se tratava.

E fui à procura porque estes dois minutinhos me deixaram água na boca.  O som típico da guitarra dos anos 60, as roupas, a decoração, as cores, os penteados e aquele jeito “lavadinho” das personagens*, fizeram-me viajar aos tempos em que os meus pais foram novos e que revivo apenas nalgumas memórias, filmes "super 8" e fotos deles.

Mas acima disso tudo está, pois claro, a sensualidade que transpira da actuação da actriz, que também só aqui a conheci, e que se chama Jessica Parré.

Para além da sua beleza e sensualidade, o que me fez aqui escrever foi a língua francesa. Não há para mim, língua mais sensual, na boca de uma mulher, do que o francês. Isto já deve vir do tempo em que ainda criança, ouvia o 45 Rotaões do “Je T’aime moi non plus” e o sussurro quente, muito quente da Jane Birkin.

Ao contrário, o francês, é quanto a mim, a forma mais ridícula de um homem falar. Demasiado feminina.

*Já começo a ficar um bocado farto da moda dos cabeludos e barbudos vestidos com trapos e ténis rotos e sujos.



sexta-feira, abril 12, 2013

Before Midnight

Nove anos depois de «Antes do Anoitecer» e 18 anos após «Antes do Amanhecer», Ethan Hawke e Julie Delpy voltam a ser Jesse e Celine em «Before Midnight». O trailer já está na internet.

quarta-feira, abril 10, 2013

Sempre a aprender!!!

Ontem à noite, enquanto passava a ferro, estava entretido a ver o canal Odisseia e sabem o que descobri , num banal programa sobre sexualidade, às 10 da noite???
...
...
...
Fiquei pasmado!!!!
Nós, homens, também temos ponto G!!!!
...
...
Alguém sabia isto?
...
...
Agora, nem queiram saber onde fica! Puxa!!
Se não sabem e querem saber Googlem à vontade. Não sou eu que vos vou dizer :)


segunda-feira, abril 08, 2013

O amor é isso

O amor é isso. Não prende, não aperta, não sufoca. Quando vira nó, já deixou de ser laço.
Excerto de texto atribuído a Mário Quintana

quinta-feira, abril 04, 2013

Ai, ai,....


Há uma mania (para não dizer fetish, que parece demasiado forte), muito antiga e bastante inocente, na qual, não sei bem porquê, nunca fui muito ligado.

Apercebi-me da existência dessa tendência logo em miúdo, quando encontrava, espalhadas pela casa da minha avó, largadas pelas empregadas, as revistas da “Crónica Feminina” que eu, um miúdo curioso, acabava por folhear.

Na secção das foto-novelas eu via essas atraentes, fogosas e ardentes executivas, envolvendo-se em paixões assolapadas com os patrões ou colegas. Mais tarde, uns bons anos mais tarde, já adolescente, comecei a encontrar essas mesmas executivas, noutro tipo de revistas. “Gina”, acho eu. As mesmas personagens, mas paixões um bocadinho mais intensas. Quando a era dos video-gravadores chegou, voltei a encontra-las no mesmo estilo das revistas, intensamente apaixonadas mas agora, numa paixão bem mais ritmada. Filmes de qualidade, como é óbvio... sabem certamente do que estou a falar.

Mas o facto é que, por razões que não sei explicar, estas personagens não me causaram nunca um entusiasmo fora do normal. Mas ontem, saí da minha pequena aldeia onde trabalho e fui ao banco à vila, e foi aí que todo este paradigma mudou. Encontrei por lá, ao vivo e a cores,  a executiva que eu nunca tinha encontrado. Óculos, cabelo apanhado, mas meio solto, com umas roupas muito elegantes e sensuais, sapatos de salto, e uma pose decidida e confiante, dando a entender que era uma daquelas raparigas que não dá bola a ninguém, como de facto  não a vi dar.

Confesso que a imagem da moça me acompanhou o resto do dia. Confesso também que foi por puro acaso, que hoje tive de ir almoçar à mesma vila e confesso ainda que é mesmo verdade. Ela estava lá. Mais uma vez, totalmente inatingível, no alto da sua pose, parecendo desligada de tudo o que é mundano, tentando (ou não) esconder a sua sensualidade que no entanto se sente e se adivinha e que me deixou vidrado.

Já tinha saudades de me voltar a apaixonar assim! :)

terça-feira, março 26, 2013

Saudades



As casas, as ruas, o cafézinho, o verde, os telhados, as cores, a luz do sol, a chuva, a igreja, a alegria simples das crianças, enfim,... Uma imensa brisa que me chegou de uma parte do Brasil que eu recordo e de que sinto saudades. Obrigado pela partilha Marcela. :)

sexta-feira, março 22, 2013

É Sexta-feira,...



.. e sinto aquela alegria de quem vai ter um fim-de-semana inteirinho pela frente.  Sinto que ainda me falta qualquer coisa... mas procurá-la, dá-me ainda mais vontade de seguir em frente.

Nem preciso de pensar em nada durante o fim-de-semana.

Bom fim-de-semana. :)

A foto é de uma terrinha chamada Piódão, onde vou passar o fim-de-semana. :)

segunda-feira, março 18, 2013

Leggings


Não sei quem foi, mas quem quer que tenha inventado esta coisa dos leggings, devia receber um prémio Nobel, pelo bem prestado a toda a humanidade. Uma das invenções mais extraordinárias deste século!

Frases soltas


No acto, preocupa-se tanto com a satisfação do outro, que acaba por descorar o seu próprio prazer que, pelo menos na sua plenitude, raramente alcança.

sexta-feira, março 15, 2013

É sexta-feira...

... e não sinto aquela alegria de quem vai ter um fim-de-semana inteirinho pela frente.  Sinto que ainda me falta qualquer coisa... Ou será que já tenho demais?

Vou pensar durante o fim-de-semana. Prometo responder-vos na segunda-feira.

Bom fim-de-semana. :)

quarta-feira, março 13, 2013

Com o Atlântico pelo meio




Jardim de Inverno - Pierre Aderne e Susana Félix , participação especial de Mário Laginha

segunda-feira, março 11, 2013

No trabalho...



Os dias de chuva têm esta vantagem. Tempo para passear enquanto trabalho.
Uma boa semana para todos. :)

terça-feira, março 05, 2013

Em casa

Cheguei à conclusão que uma  das minhas dificuldades numa relação está na partilha dos espaços.  E facilmente reconheço que esse, é um problema meu. 

Mas por que razão não me sinto eu à vontade com outra pessoa em casa?
É claro que numa vida a dois temos agir de forma diferente, não é? Existem as nossas vontades, as nossas necessidades  mas também existem as vontades e necessidades da outra pessoa. Tudo bem. Milhares de pessoas viveram e vivem bem assim. Porque não eu? Por que será que eu sinto que dessa forma eu perco mais de mim do que na realidade ganho? Por que me sinto mais "pobre"? Menos eu?



segunda-feira, fevereiro 25, 2013

Encantamentos II

Mesmo  no início deste blogue, fiz aqui, uma transcrição de um depoimento de um DVD do Chico Buarque, em que ele fala do seu fascínio pela natureza das mulheres. Aquela coisa que eu falei e com a qual me identifico tanto, que é o encanto pelo mistério da "alma" feminina.

Noutro DVD que também tenho, de um programa especial de Natal da Globo, com o Caetano Veloso, o Gilberto Gil e  a Ivete Sangalo, esta última, a certa altura, entre duas músicas, conta esta história curiosa:

"Uma vez perguntaram a Chico Buarque:
- Chico, você faz música para pegar mulher?
E ele respondeu assim:
- Faço mulher para pegar música."

Não sei se houve engano e se na última frase a intenção seria dizer, "Pego mulher para fazer música", que para mim faria mais sentido, de qualquer forma entendo o que o Chico Buarque diz. Mais uma vez demonstra, a meu ver, que o seu encantamento e o culto do mistério são verdadeiros. E como eu o compreendo... A mulher como fonte de inspiração, como fonte de vida...

quarta-feira, fevereiro 20, 2013

Encantamentos


Os anos passam (por mim e pela “nuvem”), a minha vida muda, o mundo, parece ter a cada dia menos sentido, mas eu continuo o mesmo.

Não perdi ainda o meu imenso fascínio pela beleza feminina. 
E não pensem que estou apenas a falar das intocáveis modelos, actrizes ou cantoras. Nem só das mulheres tão bonitas como as anteriores, que andam por aí nas nossas e noutras cidades. A beleza que me prende e que me encanta está, para mim, ao contrário do comum dos homens (acho eu), na beleza da mulher normal. Num sorriso, numa expressão facial, no jeito doce de falar, no movimento do corpo e no mistério. No grande mistério que continua a ser para mim o pensamento, o imaginário e a essência de uma mulher.

É esse mistério, esse fascínio que me faz distribuir “paixão” por tanta gente, a toda a hora. 

Pena não poder dizer. Pena não poder partilhar um pouco mais com cada uma. Pena esta paixão, que aparentemente desperdiço, não possa ir um pouquinho mais além. Pena que essa paixão provoque em mim entusiasmos contraditórios...

segunda-feira, fevereiro 18, 2013

Volto já

Às vezes penso que perdi a inspiração...
Às vezes penso que só a inquietação me faz pensar, escrever,..
Às vezes penso que me perdi,...
Às vezes penso que finalmente me encontrei,...
Agora, neste preciso momento. penso no sentido deste "canto", e no que fará sentido para mim aqui escrever...

8 dias de férias

E aqui estou eu, de volta ao meu cantinho. :)

quinta-feira, janeiro 31, 2013

É isso mesmo!

Tinhas razão Andorinha. Eu nunca perdi as minhas Paixões. Da primeira à última, das que foram reais e às que não passaram de sonhos, das que vieram e das que estão para vir. Agora sei que não sou o único e que tudo isto até é um bocado normal. Obrigado pela dica. :)

terça-feira, janeiro 22, 2013

Do alto da minha nuvem

Quando me separei, fiz-lo sem medos. Corri o risco e não me importei de ficar sozinho. Confesso que a ideia de passar uns tempos descomprometido me estava a agradar. E se assim tivesse que ficar para o resto da vida não me importaria. Acreditei nessa altura (e continuo a acreditar) que a amizade pode valer tanto ou até mais que uma relação amorosa. E a liberdade, que quer se queira quer não, só existe verdadeiramente quando estamos completamente descomprometidos, ajuda também a compensar os momentos de solidão.

No entanto, a vida nem sempre nos entrega aquilo que esperamos e a mim, entregou-me quase de bandeja, uma nova relação. Como? Bem, o mundo está cheio de cupidos e juntar dois "just-divorced" parece ser sempre uma boa ideia. E foi. Nestes casos há sempre muita coisa em comum e a ligação parece lógica. E no inicio é. O problema é que o inicio não dura sempre, e depois do inicio é preciso acertar "agulhas". Isto, se quisermos que a relação dure e se estivermos convencidos que as coisas boas são suficientemente boas para superar as menos boas ou mesmo, as más.

E eis-me então, depois de tantos anos enfiado numa relação passiva, em muitos momentos entediante,numa outra, completamente diferente. Uma relação que me dá muita luta e desafios constantes. A todos os níveis. Mas não me peçam já balanços. Ainda é muito cedo. 

De resto, eu (waterfall) continuo por cá. Talvez um bocado atordoado com o que tem sido este primeiro ano, mas continuo quase igual. Continuo a não poder ver um "rabo-de-saia" (só ver) :), continuo a desejar muitas mulheres e portanto achar que seria capaz de amá-las mesmo em simultâneo, e continuo fascinado pelo mundo, pela natureza e pelas pessoas. Continuo a gostar de observar tudo, e volta e meia continuo a construir sonhos na minha cabeça. Eu sei que esses sonhos não têm passado aqui para o blogue, mas tem-me faltado inspiração. Ou então, ainda não reparei e tenho sonhado menos... Vou tentar perceber. :)

quarta-feira, janeiro 16, 2013

Será normal?



Só consigo perceber que a música é viciante. Boa, má, pirosa, intelectual, banal, rimas repetitivas? Não sei, só sei mesmo que vicia. :) Bom dia!

terça-feira, janeiro 15, 2013

Os dias estão a crescer

E ontem, que o céu esteve finalmente descoberto, já fui para casa, ao fim do dia, com o pôr do sol sempre no horizonte. :)

segunda-feira, janeiro 07, 2013

Who are you?

Ontem, depois de te ver na esplanada ao jantar, todas as minhas certezas "implodiram". A tua feminilidade, a tua beleza, a tua se...