segunda-feira, janeiro 30, 2012

O meu nome

Nas arrumações encontrei um velho cartão com o significado e a descrição da personalidade das pessoas com o meu nome. É claro que não posso acreditar que somos todos iguais, consoante o nome que temos, mas por coincidência esta descrição não anda muito longe.

Vem do Latim "Didacu" que significa doutrina.

É sonhador, procura experiências e aventuras, adaptando-se bastante bem às novas situações, e não gosta de se envolver demasiado.

É inteligente e intuitivo, falta-lhe é um pouco de confiança em si próprio, o que lhe traz certos dissabores.




Porque todo o momento tem a sua banda sonora

Hoje esta é a minha...

E tive

Perguntei. Ouvi o que queria e o que não queria. Ponto final.

Mania a minha de confiar e acreditar em tudo o que me dizem… depois dá nisto. Caí no feitiço...

quinta-feira, janeiro 26, 2012

Finais

Não gosto daqueles filmes em que não se percebe o fim, ou porque o realizador faz de propósito ou porque somos nós que não alcançamos a mensagem. De qualquer forma nessas coisas sou muito terra-a-terra. Gosto de finais bem marcados e definidos. Na vida real também. Não gosto de não entender um final assim como não gosto de não ter explicações. Há sempre um motivo, por mais estranho que possa ser. E é esse motivo que quero encontrar, para o súbito afastamento da princesa feiticeira. Evito perguntar para não ouvir o que não quero, mas vou ter de o fazer. Eu quero ter o meu final.

Cartas perdidas

Por mais que uma vez me disseste que não querias mais sofrer. Que não querias mais sair magoada de uma relação. Acredita, eu também não. Mas depois de tudo o que me disseste, da paixão, da ansiedade que não te deixava dormir nem comer, da pressa em estarmos juntos, fizeste-me acreditar. E fizeste-me acreditar de tal forma que rapidamente também eu estava apaixonado. Também eu sentia por ti tudo aquilo que dizias sentir por mim. Foi por isso que quando de um momento para o outro te afastaste, quem ficou a sofrer fui eu. Sem perceber bem o que se tinha passado, imaginei várias hipóteses para esse afastamento e sempre querendo acreditar naquelas que no fim te traziam de volta para mim.

Mas agora que este tempo todo passou, que o furacão passou por mim, que já só resta uma brisa, fria, mas mesmo assim apenas uma brisa, começo a duvidar de tudo e sinto que afinal fui apenas um brinquedo “novo” nas tuas mãos. Quem ficou magoado no fim, afinal fui eu…

Mas quero que saibas, que no entanto acabaste por me ajudar, ao impulsionar a minha vida. Quer queiras quer não, é tua a responsabilidade do momento da minha separação e isso posso te agradecer com sinceridade.

Eu ainda vou ser muito feliz. Posso não saber como nem quando, mas vou.

segunda-feira, janeiro 23, 2012

Estado do sítio

Agora falta-me uma mulher para me ajudar a escolher tapetes e essas coisas...

sexta-feira, janeiro 20, 2012

Já tenho móveis em casa

Continuo sem panelas, mas continuo sem dar por falta delas.
Os móveis sim. Já lá estão todos. Antigos, herdados, todos com história, mesmo como gosto. Os enfeites chegam depois, quando os móveis estiverem todos no lugar. Por enquanto ainda andam quase todos espalhados pelo meio do t1 à procura do seu canto.

"Quem foi que disse que é impossível ser feliz sozinho?
Vivo tranqüilo, a liberdade é quem me faz carinho."

quarta-feira, janeiro 18, 2012

terça-feira, janeiro 17, 2012

Feita à medida


No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
Da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
Pra que nossa esperança seja mais que a vingança
Seja sempre um caminho que se deixa de herança
No novo tempo, apesar dos castigos
De toda fadiga, de toda injustiça, estamos na briga
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
De todos os pecados, de todos enganos, estamos marcados
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos em cena, estamos nas ruas, quebrando as algemas
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
A gente se encontra cantando na praça, fazendo pirraça

domingo, janeiro 15, 2012

E sinto-me cada vez melhor


Take time to realize

E as coisas que eu tenho....

...Ainda assim perdi metade da minha colecção de cd's e dvd' musicais. Foram dois dias a encaixotar. E só trouxe o que era mesmo meu, tudo o que recebi de herança dos meus Pais. O resto, comprado a meias, deixei por lá. Felizmente tenho onde descarregar metade da trouxa, caso contrário eu próprio não entraria no meu espaçoso t1. :)

Mais um passo dado. E dos difíceis. Agora o próximo é a mudança a 4 tempos ( 2 sítios onde carregar e outros 2 onde descarregar).

quinta-feira, janeiro 12, 2012

Ponto de situação

Bem, já passou uma semana desde que sai de casa e entrei na nova. Continuo meio acampado, mas pelo menos já tenho as partes principais do T1 limpas. Melhor, desinfectadas. :) A minha mobília é um colchão no chão. A cozinha tem todo o equipamento necessário, fogão, forno, frigorífico, micro-ondas e máquina de lavar a roupa. Panelas é que não tem nenhuma e ainda não comprei. Mas também até agora não dei pela falta desse tipo de apetrechos. Já tenho net.

Sinto que nos últimos meses um furacão passou por mim e que teve o seu momento de maior intensidade durante todo o mês de Dezembro e a primeira semana de Janeiro. Começou numa leve brisa, até virar o meu mundo do avesso. Agora ficou um vento ainda desconfortável e espero ansiosamente pela brisa calma de ventos do sul. Amenos ou mesmo quentes.

Não vale a pena esconder. Há muito tempo que pensava em tomar esta atitude, mas é óbvio para quem aqui vem e lê, que tive um empurrãozinho. A tal princesa, feiticeira tornou-se numa mulher banal. Depois de me ter prometido, pedido e jurado mundos e fundos depois de me dizer que não podia passar sem mim, de um dia para o outro, mudou completamente. Esfriou, inventou uma fraca desculpa mas não desapareceu (preferia que sim, que tivesse desaparecido). Mantém-me em banho-maria, mas só. A intensidade, a pressa a loucura daqueles dias de Dezembro esfumou-se. Todos os dias me diz bom dia, mas não diz mais, ou então diz, mas pouco mais.

Entretanto sigo em frente, com os planos ligeiramente alterados, mas com a mesma determinação, embora mais só. A maior distância de um futuro mais feliz, mas com esperança que ele chegará.

Falta-me agora uma parte difícil. Passar um fim-de-semana em casa a arrumar as minhas coisas para a mudança.

sexta-feira, janeiro 06, 2012

Aqui eu vou ser feliz



No meu novo cantinho, cheio de luz, a noite entra assim e a manhã começa também assim.


O nosso conforto não é tudo na vida, mas pode ajudar a passar estes momentos difíceis...

quarta-feira, janeiro 04, 2012

Virei a página

E tanto que custa...:(

Mas vou à procura da minha felicidade. Da minha vida. Espero encontrar.

O Mundo anda a ficar um lugar muito chato! :(

Daqui E daqui