terça-feira, maio 31, 2011

Santos e loucos ou o seu meio termo

"Esse género de decisão, a dos santos e dos loucos, não se apregoa. Vai-se forjando a pouco e pouco, nos meandros do espírito, à revelia da própria razão e longe de olhares indiscretos, sem a submeter à aprovação dos outros - que nunca a concederiam - até que se põe em prática. Imagino que, no decurso desse processo - a concepção do projecto e a sua mutação em acto - , o santo, iluminado ou louco, se vai isolando, se vai encerrando numa solidão que os demais não estão em condições de violar."

Mario Vargas Llosa - O Falador

segunda-feira, maio 23, 2011

A melhor forma de começar a semana


Com esta dose de alegria e positivismo. :))

terça-feira, maio 17, 2011

Será?... (II)

Li em qualquer lado que o facto de não se ser feliz, por si só, seria razão suficiente para acabar um casamento. E tudo o que está para trás? Não conta?

Everything is temporary anyway




Me, I'm a part of your circle of friends
And we notice you don't come around
Me, I think it all depends on you
Touching ground with us but
I quit, I give up, nothing's good enough for anybody else,
It seems
And I quit, I give up, nothing's good enough for anybody else,
It seems
And being alone is the best way to be
When I'm by myself it's the best way to be
When I'm all alone it's the best way to be
When I'm by myself, nobody else can say goodbye
Everything is temporary anyway
When the streets are wet, the colors slip into the sky
But I don't know why that means you and I are, that means you and I
I quit, I give up, nothing's good enough for anybody else,
It seems
And I quit I give up, nothing's good enough for anybody else,
It seems
And being alone is the best way to be
When I'm by myself, it's the best way to be
When I'm all alone, it's the best way to be
When I'm by myself, nobody can say
Me, I'm a part of your circle of friends
And we notice you don't come around

segunda-feira, maio 16, 2011

???

Mas o que é que fizeram com os meus "posts" e com os comentários do pessoal aqui do blogue? Assim não dá!!
Amanhã vou tentar recuperar tudo...

quinta-feira, maio 12, 2011

Será? Naaãooo...!

Quando uma mulher, amiga de longa data, após vários anos sem se verem, beija um homem, num cumprimento normal de dois beijinhos e lhe mete uma mão na nuca, afagando-lhe o cabelo isso significa... ?

Por falar em livros

Por falar em livros, estou prestes a entrar na parte da biografia do nosso antigo Primeiro-ministro, Francisco Sá Carneiro, em que ele se apaixona por outra mulher e na sequência se separa da mulher com quem estava casado e de quem tinha 5 filhos. Quero perceber como é que um homem algo conservador, católico praticante, figura de destaque nacional (embora nesta altura ainda não fosse Primeiro-ministro), termina um casamento, apaixona-se por uma outra mulher e decide largar tudo para viver essa paixão. Estou curioso.

quarta-feira, maio 11, 2011

Desafio literário

Não sou muito destas correntes, mas de vez em quando abro uma excepção. Esta desafio veio destes lados e eu acabei por gostar de o "desfiar". Então aqui vai:

1 - Existe um livro que lerias e relerias várias vezes?
Acho que não. A vida parece-me curta, para tanto livro que ainda quero ler pela primeira vez…Mas nunca se sabe.

2 - Existe algum livro que começaste a ler, paraste, recomeçaste, tentaste e tentaste e nunca conseguiste ler até ao fim?
Só existe um e só tentei uma vez. “Memorial do Convento” do José Saramago. Não pela escrita que muitos criticam, mas apenas porque sou demasiado terra-a-terra para me entusiasmar com almas que, quando saem de dentro dos frascos, voam.

3 - Se escolhesses um livro para ler para o resto da tua vida, qual seria ele?
Ainda não li nenhum livro assim. Não leio poesia, mas acho que teria de ser poesia, porque são livros sobre os quais podemos tirar várias interpretações, conforme o nosso estado de espírito. Já agora, algum conselho?

4 - Que livro gostarias de ter lido mas que, por algum motivo, nunca leste?
O Principezinho. Não o li em adolescente (quando todos lêem) e agora parece-me tarde, mas não é pois não? Um destes dias vou ler.

5- Que livro leste cuja 'cena final' jamais conseguiste esquecer?
2666 do escritor Chileno Roberto Bolaño. Depois de mil páginas de um livro com diferentes histórias, algumas densas e pesadas, o escritor morre sem acabar o livro e por isso, pelo menos para mim, o livro acaba sem final. Isto é, não há, aparentemente, uma ligação entre todas as partes do livro. Mas conheço muita gente que gostou. Não se deixem impressionar pela minha opinião.

6- Tinhas o hábito de ler quando eras criança? Se lias, qual era o tipo de leitura?
Não, não tinha. Os livros dos “Sete” rebolavam lá por casa e eu, volta e meia, até os começava a ler, mas depressa a minha cabeça voava para longe…muito longe. Acontecia-me o mesmo nas aulas. Só já depois de estar a trabalhar e estudar ao mesmo tempo, aprendi a concentrar-me e a tirar prazer de tanto quanto um livro tem para nos dar. E isto não foi assim há tanto tempo. talvez nem dez anos. Tento recuperar as leituras atrasadas, mas não está fácil.

7. Qual o livro que achaste chato mas ainda assim leste até ao fim? Porquê?
Posso repetir o 2666? Ah, posso também colocar aqui o livro “O Estrangeiro” de Albert Camus. É que o homem da história nunca se decidia, puxa! Que grande chato. (sem ofensas para os apreciadores, que sei que há muitos)

8. Indica alguns dos teus livros preferidos.
Eu sou um fã do Brasil e dos climas tropicais, por isso tudo o que tem a ver com o Brasil, normalmente gosto. Claro que no topo estão os livros do Jorge Amado e Machado de Assis. Gosto da época de cada um.
Fiquei fascinado com o “Dona Flor e seus dois maridos”, preso entre as minhas parecenças com o Farmacêutico (embora ele toque fagote e eu clarinete) e a minha vontade de ser como o Vadinho.
Outro autor Brasileiro que gosto imenso, o Laurentino Gomes. Li os livros “1808” e “1822” e adorei. Como se pode evitar um livro que tem na capa o seguinte frase: “Como um homem sábio, uma princesa triste e um escocês louco por dinheiro ajudaram D. Pedro a criar o Brasil, um país que tinha tudo para dar errado.” Uma maneira de ler história do Brasil e de Portugal de uma forma simples e descontraída, sem no entanto deixar de ser séria e rigorosa.
No meu topo está também o “Equador” do Miguel Sousa Tavares, pela aventura da missão da personagem, pelo ambiente quente e húmido, quase sufocante que adorava experimentar, e que acabam normalmente numa chuvada arrebatadora, pelo sonho e pelos impulsos descontrolados de paixão.

9. Que livro estás a ler neste momento?
“Sá Carneiro” de Miguel Pinheiro, porque gosto de ir alternando ficção com história

10. Indica dez amigos para o Meme Literário:
O que é o Meme Literário???? Olhem, se alguém se sentir com vontade, considere-se desafiado, ok?

terça-feira, maio 03, 2011

A chave dos sonhos

Não sei se é por ter chagado aos 40 (na verdade já vou nos 41), que me invadiu uma vontade imensa de mudança, de tornar a minha vida mais minha, isto é, mais virada para aquilo que me faz verdadeiramente feliz em termos pessoais e profissionais. MUDANÇA.

Infelizmente os riscos dessa mudança são tão grandes que me perco no “vou, não vou” e quando der por ela, não fui. É o costume…

Tenho motivos suficientes para pensar mais que uma vez. Casos muito próximos de pessoas que na ânsia de mudar ficaram pelo caminho e perderam o que tinham sem atingir os seus sonhos, sonhos esses que acabaram em tremendos pesadelos.

Razões válidas para pensar cuidadosamente se vale a pena procurar a chave que abre a porta dos sonhos.

Pronto para o que vier

Talvez seja um sentimento um bocado egoísta, ou então meio de revolta, não sei bem. Mas quando me olho para dentro e me vejo sem Pais e sem filhos, sinto uma estranha tranquilidade de quem tem a sua missão cumprida.

Who are you?

Ontem, depois de te ver na esplanada ao jantar, todas as minhas certezas "implodiram". A tua feminilidade, a tua beleza, a tua se...