sexta-feira, outubro 31, 2008

Tudo na vida

Às vezes observo pessoas, mais ou menos da minha idade, às vezes até mais novos que eu e que já vão com dois casamentos, com vários filhos de uma e de outra procedência e fico com um pensamento meio esquisito. Eu, que até agora casei uma só vez, que desde então mantenho o mesmo emprego, que não tenho filhos da minha mulher nem de mais ninguém, sinto-me pequenino, a viver num mundo minúsculo, seco e desinteressante.

Por um lado parece que fico fascinado com a vida dessas pessoas, com a atitude, força e coragem que parecem ter, mas por outro lado desiludo-me porque se calhar é tudo o inverso. Falta-lhes atitude, carácter e coragem para assumir as dificuldades de uma vida e fogem ao primeiro obstáculo.

Mas é tudo uma parvoíce, não é? Eu sinto-me bem na minha vida e provavelmente os outros que descrevi também. Não é aí que está o problema. O problema está na rotina. Está nos que sabem dar-lhe a volta sem grandes ondas e nos que precisam pôr o mundo de pernas para o ar para lhe fugir. Mas todos temos as nossas alegrias, tristezas e frustrações e sobretudo, medo de não estar a viver a vida toda, quando não se sabe sequer o que é o todo de uma vida.

Gosto desta música...

Katy Perry - I Kissed a girl



Não sei porquê, mas gosto.:)

quinta-feira, outubro 30, 2008

Escolhas

Volta e meia penso que, se por um azar ou qualquer outro acaso, tiver de escolher uma nova mulher para a minha vida, o farei depois de constituir uma lista de aptidões altamente pormenorizada. Essa lista, que tenho vindo a delinear mentalmente, será depois utilizada com rigor na escolha da nova parceira, isto claro, se o coração não me trair e me levar, direitinho que nem uma seta, para outra professora de Português, Latim e Grego. : )

Isto vem a propósito de esta semana, num concurso televisivo, ter visto uma concorrente que era cardiopneumologista. Era novinha, muito simpática e não era nada feia. Ora, como eu sou um bocado cardio-hipocondríaco, nada melhor que ter uma médica em casa e se possível equipada com toda a parafernália de equipamentos a um diagnóstico certeiro, para me socorrer nas mil e uma vezes em que tenho uma dor ou uma pontada numa qualquer parte do corpo.

No entanto e para o caso de não conseguir conciliar todas as qualidades que pretendo numa só mulher (escolher duas ou três está fora de questão, acho), posso aceitar outra qualquer especialidade médica. Também não renunciarei a uma enfermeira, se esta tiver um outro qualquer super atributo. Daqueles mesmo suuupeeeer!

Azul...

Vou andar em experiências. Estejam à votade para dizer o que vos apetecer sobre o novo visual.
Mas aviso já, o blogue é meu e por isso: "aqui quem manda sou eu!"

terça-feira, outubro 28, 2008

Beleza

Não resisto. Roubei este texto do blogue da Andorinha porque acredito na maioria das coisas que o escritor brasileiro, Paulo Coelho escreve neste texto. Não é nada que eu não tenha já abordado aqui no blogue, mas nunca tão claramente como ele aqui faz.
Ainda por cima não gosto muito dos livros dele. Parecem-me Power Points gigantes, mas sem pan-pipes e paisagens idílicas. Mas neste texto ele acerta em tudo. Aqui vai:

O corpo feminino por Paulo Coelho

Não importa o quanto pesa. É fascinante tocar, abraçar e acariciar o corpo de uma mulher. Saber seu peso não nos proporciona nenhuma emoção.

Não temos a menor idéia de qual seja seu manequim. Nossa avaliação é visual, isso quer dizer, se tem forma de guitarra... está bem. Não nos importa quanto medem em centímetros - é uma questão de proporções, não de medidas.

As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas, cheinhas, femininas... Essa classe de corpo que, sem dúvida, se nota numa fração de segundo. As magrinhas que desfilam nas passarelas, seguem a tendência desenhada por estilistas que, diga-se de passagem, são todos gays e odeiam as mulheres e com elas competem. Suas modas são retas e sem formas e agridem o corpo que eles odeiam porque não podem tê-los.

Não há beleza mais irresistível na mulher do que a feminilidade e a doçura. A elegância e o bom trato, são equivalentes a mil viagras.

A maquiagem foi inventada para que as mulheres a usem. Usem !!! Para andar de cara lavada, basta a nossa. Os cabelos, quanto mais tratados, melhor.

As saias foram inventadas para mostrar suas magníficas pernas... Porque razão as cobrem com calças longas? Para que as confundam conosco? Uma onda é uma onda, as cadeiras são cadeiras e pronto. Se a natureza lhes deu estas formas curvilíneas, foi por alguma razão e eu reitero: nós gostamos assim. Ocultar essas formas, é como ter o melhor sofá embalado no sótão.

É essa a lei da natureza... que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anorexica, bulêmica e nervosa logo procura uma amante cheinha, simpática, tranqüila e cheia de saúde.

Entendam de uma vez !!! Tratem de agradar a nós e não a vocês. Porque, nunca terão uma referência objetiva, do quanto são lindas, dita por uma mulher. Nenhuma mulher vai reconhecer jamais, diante de um homem, com sinceridade, que outra mulher é linda.

As jovens são lindas... mas as de 35 para cima, são verdadeiros pratos fortes. Por tantas delas somos capazes de atravessar o atlântico a nado. O corpo muda... cresce. Não podem pensar, sem ficarem psicóticas que podem entrar no mesmo vestido que usavam aos 18. Entretanto uma mulher de 45, na qual entre a roupa que usou aos 18 anos, ou tem problemas de desenvolvimento ou está se auto-destruindo.

Nós gostamos das mulheres que sabem conduzir sua vida com equilíbrio e sabem controlar sua natural tendência a culpas. Ou seja, aquela que quando tem que comer, come com vontade (a dieta virá em setembro, não antes; quando tem que fazer dieta, faz dieta com vontade sem sabotagem e sem sofrer); quando tem que ter intimidade com o parceiro, tem com vontade; quando tem que comprar algo que goste, compra; quando tem que economizar, economiza.

Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos 'em formol' nem em spa... viveram !!!

O corpo da mulher é a prova de que Deus existe. É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, mimados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesárias e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos.

Cuidem-no! Cuidem-se! Amem-se!

A beleza é tudo isto.


É mesmo!

Mas quem é que se importa?

Ouvi hoje de manhã na Antena-1, que o Presidente Venezuelano, Hugo Chavez, não ia estar presente na próxima cimeira Ibero-americana, que vai decorrer em El Salvador, por motivos de segurança. Mas quem é que se importa com isso se vai lá estar a Shakira? Nem era preciso mais nenhum presidente de nenhum outro país. Mandavam-me a mim, se quisessem.

Pois é, a Shakira vai lá estar para defender os direitos e combater a pobreza das crianças Sul-americanas.

Por isso eu gosto tanto dela. Não é só uma cara bonita e um corpinho bem feito e uma postura sensual. A moça tem cabecinha. Escreve as suas músicas, canta-as, promove-as e preocupa-se com o Mundo. Sou fã!

segunda-feira, outubro 27, 2008

O blogue segue dentro de momentos

"O vento vai me levando nesta minha nuvem que eu tento manobrar. Daqui vejo o mundo e o que me marca escrevo por sentir que apenas a escrita ouve e compreende os meus desabafos."

Não só não ando a ver o mundo com muita clareza como poucas coisas me marcam, por isso… o blogue segue dentro de momentos.

sexta-feira, outubro 24, 2008

Preparando o futuro

Tinha dito que nunca mais estudava na vida, mas isto não é bem estudar e com este tema foi irresistível. Vão ser umas belas férias. Já enviei a ficha de inscrição e tudo. :))

Por agora, já está.

Já acabei as mudanças e deixei tudo arrumadinho.

Agora só me falta assunto...

... e tempo...

... isto é, chuva forte e persistente.

quinta-feira, outubro 23, 2008

Ando em mudanças...

Não se assustem com a desarrumação. Espero ser breve.:)

sexta-feira, outubro 17, 2008

Já não é só um desejo...

... É uma obsessão.

Garbage - Only Happy When It Rains



Não é preciso dizer mais nada, pois não?

quarta-feira, outubro 15, 2008

Orgulho e vaidade

Hoje, uma colega disse-me que eu era vaidoso. Por coincidência tinha lido de manhã, que Jane Austen, no clássico "Orgulho e Preconceito", explica que o orgulho tem a ver com a ideia que temos de nós próprios, enquanto a vaidade se relaciona com aquilo que esperamos que os outros pensem de nós.

Fiz um figurão, mas continuo a pensar na frase da autora, e não tenho a certeza que ela esteja 100% certa. Estará?

terça-feira, outubro 14, 2008

Encaixa, claro!

Genial!

Djavan - Farinha



Desculpem a publicidade, mas não arranjei melhor.:)

Sim, é

A letra é esta:

A farinha é feita de uma planta da família das
euforbiáceas, euforbiáceas
de nome manihot utlíssima que um tio meu apelidou de macaxeira
e foi aí que todo mundo achou melhor!...
a farinha tá no sangue do nordestino
eu já sei desde menino o que ela pode dar
e tem da grossa, tem da fina se não tem da quebradinha
vou na vizinha pegar pra fazer pirão ou mingau
farinha com feijão é animal!
o cabra que não tem eira nem beira
lá no fundo do quintal tem um pé de macaxeira
a macaxeira é popular é macaxeira pr`ali, macaxeira pra cá
e em tudo que é farinhada a macaxeira tá
você não sabe o que é farinha boa
Farinha é a que a mãe me manda lá de Alagoas


Mas pode isto encaixar nalguma música?

segunda-feira, outubro 13, 2008

Só para aliviar o ambiente por aqui....

É possível fazer uma canção com as palavras euforbiáceas, manihot e utlíssima?

Amanhã respondo.

Momentos... só isso.

Lembras-te das ruas empoeiradas para onde íamos de Mini?
Hoje são só prédios.
Como a cidade cresceu.
Como nós crescemos…

O que queria eu nessa altura?

Como era infantil, …

O que escolhi para mim?
O que escolhi para a minha vida?

Como era criança, como era inocente…

E hoje?
E agora?

Hoje esforço-me por fazer de adulto numa bricadeira de criança.
Agora esforço-me por ter aquilo que quero hoje, com o que escolhi naquele tempo.
Mas às vezes parece que não dá. Simplesmente não dá.

verdades (in)consequentes


Durante todo este tempo de casamento apaixonei-me por fora, duas vezes.

No fundo foram fantasias vãs. Nasceram, viveram e morreram dentro da minha cabeça e de lá não saíram, mas soube-me bem. Quebrou a rotina, a pasmaceira e a vida continuou. A minha mulher nem teve tempo nem razões para desconfiar, porque no fundo, eu nunca deixei de a amar também.

Como é que isso foi possível? Nem eu sei.

sexta-feira, outubro 10, 2008

Lembrei-me disto agora

(E aproveito para disfarçar o post anterior)

Se forem a um ginásio e virem um rapazito, ou melhor, um homenzito que usa umas meias, daquelas, um palmo acima dos ténis, em vez das ridículas meinhas, totalmente amaricadas, rente aos ténis, podem falar com ele. Sou eu, o waterfall. O único.

Post parvo (e totalmente ficcionado), afinal de contas, hoje é sexta-feira

- Hoje vi uma Ex…
- Sim e depois? O que é que isso tem?
- Nada, apenas me fez ficar com um sorriso parvo na cara.
- Ainda gostas dela?
- Não, nem pensar. Até fui eu que acabei com ela…
- Então porque ficas com esse sorriso parvo?
- Bem,… Ela era,… Como hei de dizer… Ninfo?
- Ela??!! Não tem nada cara disso.
- Pois não, mas quem não vê caras não vê corações.
- Uma louca na cama (ou no banco de trás do meu Mini.):)
- Adorava sexo oral e eu às vezes não estava para aí virado. Fui me fartando. À tarde, à noite, a qualquer hora. Ufff!
- Bem, continuo sem perceber o sorriso parvo.
- Sabes quando vais a uma festa e vês tanta comida boa que ficas enjoado logo à primeira coisa que comes? E depois no dia a seguir, te arrependes de tudo o que não comeste?
- Sim, sei.
- Pois,… Então vês.

quarta-feira, outubro 08, 2008

sweet sixteen

Acabei de ler o livro “Memória das minhas putas tristes”, de Gabriel Garcia Marquez.

Não há forma elegante ou poética de explicar esta atracção de homens velhos e menos velhos por meninas de 16 anos, pois não? Corpinhos em erupção, inocência à flor da pele, instintos…? Loucura?

Não gostei.

segunda-feira, outubro 06, 2008

Clarinete

Hoje recomeço as aulas de clarinete. Não treinei muito durante o verão, mas também no verão nunca tenho muito tempo livre.

Toquei umas coisitas, de algumas músicas que gosto, que fui tirando de ouvido, mas, escalas de baixo para cima e de cima para baixo, de trás para a frente e da frente para trás, como tinha ficado combinado, é que nem por isso. Assim, vamos lá ver como sai o recomeço.

Para começar bem a semana

Conheci-os hoje e gostei. Chamam-se "Pontos Negros" e o disco de estreia chama-se "Magnífico Material Inútil". :)

...

"Com mulheres que calçam o 40

é melhor revelar prudência"

...

Que tal?

sexta-feira, outubro 03, 2008

A esperança... Dança na corda bamba de sombrinha

Não queria ir de fim-de-semana com este post, tão “down” aqui de trás, por isso deixo aqui uma musiquita de que gosto muito. Uma música que fala de esperança, numa interpretação mágica do seu autor, numa envolvência entre os músicos e o público de arrepiar.

Reparem bem na emoção do pessoal na plateia. É contagiante, não é?
É Brasil.




O Bêbado e a Equilibrista

Composição: João Bosco e Aldir Blanc

Caía a tarde feito um viaduto
E um bêbado trajando luto
Me lembrou Carlitos...

A lua
Tal qual a dona do bordel
Pedia a cada estrela fria
Um brilho de aluguel

E nuvens!
Lá no mata-borrão do céu
Chupavam manchas torturadas
Que sufoco!
Louco!
O bêbado com chapéu-coco
Fazia irreverências mil
Prá noite do Brasil.
Meu Brasil!...

Que sonha com a volta
Do irmão do Henfil.
Com tanta gente que partiu
Num rabo de foguete
Chora!
A nossa Pátria
Mãe gentil
Choram Marias
E Clarisses
No solo do Brasil...

Mas sei, que uma dor
Assim pungente
Não há de ser inutilmente
A esperança...

Dança na corda bamba
De sombrinha
E em cada passo
Dessa linha
Pode se machucar...

Asas!
A esperança equilibrista
Sabe que o show
De todo artista
Tem que continuar...

quarta-feira, outubro 01, 2008

Em plena montanha russa química

Quando estamos a passar mal, se nos queixamos, se tentamos chamar a atenção e não sentimos apoio, conforto, … solidariedade, …

Estamos sós, não estamos?

Ás vezes sinto que estou…
Ás vezes estou…

Desculpem...


...mas não pude resistir.
Esta revista é um conto de fadas. :)

O Mundo anda a ficar um lugar muito chato! :(

Daqui E daqui