segunda-feira, junho 30, 2008

É hoje!


Hoje vou actuar num magnífico quarteto de clarinetes, na festa de fim de ano da minha escola de música. Eu faço o 4º clarinete com muito prazer e orgulho, como falei num post mais atrás. Em casa tenho ensaiado com os Beatles e para o Youtube gravei um ensaio com o Paul MacCartney.

Por razões de anonimato, que pretendo manter, não coloco aqui o link, mas se alguém quiser ver, escrevam para o meu mail, que eu depois mando o link. Mas é segredo, ok?

Xaile


Fui no passado Sábado, à Figueira da Foz ver este grupo. Não conhecia quase nada. Fui em família, arrastado por um primo, especialista nestas coisa da música. Não me arrependi, antes pelo contrário. Um espectáculo magnífico tanto ao nível musical como estético. Tudo na perfeição. No final fiz o que nunca tinha feito. Comprei um CD e fiquei para a sessão de autógrafos, fotos e um pouquinho de conversa. Adorei e claro com o meu coração de pinga amores, deixei-me apaixonar por duas das três moças. Quais?... Adivinhem.


Pistas: Uma pela sua própria beleza e sensualidade e beleza própria da sua dança e outra pela sua beleza simples, pelo seu realismo, por estar mais perto de um ser comum e bonito e talvez por ser parecida com uma pessoa que eu admiro.

sexta-feira, junho 27, 2008

Ciúmes?


A minha mulher, que é professora, trabalha, durante os meses de verão, num gabinete de trabalho com mais meia dúzia de pessoas, entre eles, alguns homens de quem a ela passa o tempo a dizer bem. Isto e mais isto e aquilo… Seja profissionalmente seja pessoalmente, os elogios são constantes. Como eu também não sou de ferro acabo por ter pequenos ataques de ciumeira, passo-me um bocado e mando umas bocas. A minha mulher diz-me então: Oh, waterfallezinho não fiques assim, ele é assim como tu, não tens que te preocupar…

Pois, mas o problema é mesmo esse…

sexta-feira, junho 20, 2008

Músicas de sempre



Numa altura em que esta moda do anti americanismo exacerbado reina, pelo menos em Portugal, até quase esquecemos tudo de bom que aquele grande, grande País teve e tem. Este é um dos bons exemplos disso mesmo. Aqui recordo uma época em que quase todos vivíamos a reboque dos EUA, na cultura, nos jogos olímpicos, nas modas e na luta contra o mal do Mundo. Era de lá que vinha a esperança do Mundo Melhor. Hoje em dia isso parece totalmente irreal, tal tem sido a intoxicação que sofremos de uma imprensa e de uma esquerda Europeia hipócrita e irresponsável. Um País é muito mais do que os seus líderes.

quarta-feira, junho 18, 2008

Estou a ouvir....

Os meus Pais já tinham este disco em vinil, e eu cresci a ouvir estas, entre muitas outras músicas, destes e de outros.
Para mim, hoje, agora, neste momento, o melhor disco de MPB de sempre.

Pois... é isso mesmo.

Se a nacionalidade de um homem, fosse definida pela parte do corpo que se gosta mais numa mulher, eu era Brasileiro.

terça-feira, junho 17, 2008

Aiiii se eu pudesse…

Fotografia de: Igor Coelho

Desinibir-me,
Desinibir-te,
Ai se eu pudesse ver-te nua,
Olhar para ti e tocar-te, … de mansinho,
Tocar o teu corpo fresco limão.
Ai se eu pudesse provar-te a pele macia,
Ai se eu fosse capaz de resistir-te durante longos minutos,
E se tu fosses capaz apenas de receber,
Se te deixasses apenas festejar-te,
Se te deixasses enfim explorar,
Apenas à minha vontade,
Eu faria de ti feliz,
E de mim, feliz de mais.

Ontem passei na rua...

... e numa loja vi na montra, um pijama que ficava bem ao manequim. Achei que ficava bem também na minha mulher. Quis comprá-lo, mas como enfrentar uma loja daquelas? Lingerie. E o pijama, era mesmo pijama, nada de coisas sensuais ou rendas ou coisas assim. Um pijama normal. Com sapos. Rosa e verde. Quando arranjar coragem vou lá. Talvez sexta. Se não, mais uma vez fica a intenção... :(

quinta-feira, junho 12, 2008

Não ando a bater muito bem...


Não sei o que se passa comigo, só sei que me perdi a cabeça por uma boa cozinheira e por um bonito pé de unhas vermelhas e fiz, em poucos minutos, dois pedidos de casamento, em dois blogs diferentes (e eu nem leio assim tantos, calhou…). O problema é que já sou casado e embora seja, francamente a favor da poligamia, ainda não consegui convencer, nem a minha mulher, nem mais ninguém a “poligamiar” comigo e com mais umas polígamas. Se os convites de hoje tiverem resposta positiva vou estar metido num molho de brócolos.

sexta-feira, junho 06, 2008

Eu por aqui...

Tinha um post escrito sobre o Porto, sobre o Pinto da Costa e sobre a corrupção generalizada deste País. Ando um bocado revoltado com toda esta história e se calhar até um pouco obcecado. Não há maior revolta do que aquela de quem se sente injustiçado, não pela justiça mas pela vontade de uma imensa maioria. Ponto final. (Por agora :)).

Em vez disso quero vos participar que, foi sem qualquer tipo de corrupção, que fui incluído como 4º Clarinetista no fantástico quarteto de clarinetes da Orquestra X Y, que irá actuar, ainda em data a definir, no espectáculo de final de ano desta Orquestra. Vamos interpretar uma versão do “yesterday” dos Beatles, e finalmente sinto verdadeiro prazer em tocar. Sinto-me músico. Sinto-me dentro da música e isso é muito compensador, relativamente à difícil aprendizagem destes últimos 8 meses. Muitos dias de “balões do João” e de “Hinos da Alegria” e músicas do género.

Fui eu quem pediu ao professor para ser o 4º. Não sei se me fez a vontade ou se achou que era o melhor lugar para mim, mas para mim isso não interessa nada. Toco notas graves e baixinhas, mas quem manda na música e no ritmo sou eu e ainda tenho oportunidade de brilhar em 4 breves momentos da música. Nessa altura encho os pulmões, empurro o ar com o diafragma e o meu som ecoa sozinho na sala. Muito emocionante. Rapidamente volto ao meu volume normal e os restantes três recomeçam.

A Orquestra, tem a sua sede num antigo palacete recuperado e o espectáculo vai realizar-se à noite, nos bonitos jardins, em cima de relva e debaixo de grandes árvores, por isso a coisa promete e eu prometo, que quando souber a data certa aviso.

quinta-feira, junho 05, 2008

Ser homem não é fácil


Nós homens, aliás como as mulheres, não passámos ainda, totalmente, a nossa fase animalesca. Somos racionais, sim, mas ainda animais. Um dia seremos só seres racionais, como antes, fomos apenas animais, mas por enquanto somos animais racionais. E isso cria-nos imensos constrangimentos. Controlar os nossos instintos animais, muito dos quais contrariam todas as regras de ética racional, é uma tarefa hercúlea.

Mas se “por actos”, para mim, é fácil fugir aos instintos animais, já “por pensamentos” o caso muda um pouco de figura. E já que não vou a nenhuma igreja, aqui me confesso culpado de ainda ontem, ter admirado uma pequena Deusa, musa inspiradora deste texto. Mas também, quem manda a dita fogosa moça, de tanto calor que emanava, revelar, a mim e a outros, toda a sua formosa figura, apenas disfarçada por um justo e apertado top? Toda a sua pujante juventude veio ao de cima, quando se libertou do casaco. Tudo tão no sítio e marcado, como a mais bela estátua grega, tudo tão natural como a mais pura natureza e tudo tão ingénuo como o seu olhar de menina. Apenas 15 anos mas já com o corpo de mulher, ou antes, já com o corpo de que terá saudades quando for mulher.

Como é difícil ser homem.

O Mundo anda a ficar um lugar muito chato! :(

Daqui E daqui