terça-feira, janeiro 23, 2007

Sangue frio

Um homem vai à dentista e, enquanto ela lhe trata os dentes com uma irritante broca, imagina que ela tira a máscara que tem na cara e que o beija. A partir desta ideia, fantasia toda a sequência de acontecimentos, em duas versões. Na primeira ele deixa-se dominar pela dentista e portanto mantém-se deitado na cadeira enquanto ela se serve dele sem cerimónias. Na segunda versão, o paciente, perante tal investida assume o comando, mostrando que estava apenas à espera de um sinal para realizar um desejo antigo e deitando-a na cadeira, oferece-lhe um manancial de prazer e felicidade (modéstia aparte).

Se esta história é real uma das seguintes hipóteses tem de ser verdadeira:

a) A dentista é um mulherão de todo o tamanho, por isso não há dor ou impressão que desconcentre o paciente desse tipo de sonhos;

b) A dentista é uma excelente profissional conseguindo tratar os dentes do paciente relaxando-o ao ponto de este ter esse tipo de fantasias;

c) O paciente é de tal maneira tarado, que mesmo uma dentista, que nem sequer é nenhum “avião”, e que até é boa profissional, mas também não exageremos, mesmo numa situação como esta é capaz de ter fantasias sexuais.

segunda-feira, janeiro 15, 2007

Agora é que é!

Em vez de me lamentar,
em vez de me fazer de vítima,
em vez de esperar que uma mudança chegue por si só,
em vez de me queixar da passividade alheia,
ponho a hipótese de ser eu a origem do problema, e assim, antes de partir a loiça toda, vou mudar-me a mim primeiro, para poder exigir depois.

Não me vou deixar cair no turbilhão que leva ao buraco negro sem pelo menos espernear e se vir que não consigo parar o turbilhão então aí salto fora.

Por enquanto, ainda é cedo.

Só ainda não escolhi a táctica, mas a decisão está tomada!

Lume brando

Queria mais atenção,
Queria mais sentimento,
Mas sou indiferente;
Queria mais calor,
Mas continuo a sentir frio;
Queria mais sensualidade,
Queria mais emoção,
Queria mais paixão,
Mas só tenho um contrato,
Eterno, perante um Deus que não reconheço.

Não queria continuar a ser garantido
Queria que continuassem a lutar por mim.

segunda-feira, janeiro 08, 2007

À luz do meu dia

Obrigado, por teres iluminado o meu dia com a tua beleza, simpatia e sensualidade. Por ti, pela tua voz, pela visão do teu decote, não fui capaz de reclamar os 22 euros que me fizeste perder (otário!). São 22 euros que não gasto em flores.

sexta-feira, janeiro 05, 2007

E os homens?

Não perguntaram aos homens? Será que as respostas dos homens eram óbvias?

Who are you?

Ontem, depois de te ver na esplanada ao jantar, todas as minhas certezas "implodiram". A tua feminilidade, a tua beleza, a tua se...